Curitiba, 
Nova pagina 1
  MENU PRINCIPAL
 Galeria de Fotos
 Fale Conosco
 Usuários
 Pagina Inicial
 Presidentes do Brasil
 Busca de Cep
 Busca de Cartórios
 Conheça o Brasil
 Governadores do Paraná - Imperial
 Governadores do Paraná - Republicano
COLUNAS LC
 Acidente de trabalho
 Ambiental
 Aposentadoria
 Arbitragem
 Atividade eventual
 Bancos
 Bem de Família
 Câmaras de Vereadores
 Cartão de crédito
 Célebres Julgamentos
 Conselho Nacional de Justiça
 Conselho Nacional de Justiça(CNJ)
 Conselho Tutelar
 Constituição Federal
 Contratos
 Cooperativas de crédito
 Cooperativas de Trabalho
 Crianças e Adolescentes
 Danos morais
 Direito Constitucional
 Direito do Consumidor
 Direito Empresarial
 Direitos do Empregador
 Direitos doTrabalhador
 Discriminação
 Emenda Constitucional 45/04
 Frases que marcaram
 Hist.Partidos Políticos
 IDOSOS
 Juizados Especiais
 Juizados Especiais
 Justa Causa
 Justiça Eleitoral
 Justiça On-Line
 Latim
 Leis
 Magistratura
 Ministério Público
 Municípios
 O.A.B
 Pensão Alimentícia
 Pensionistas
 Poder é Poder
 Portadores de Necessidades Especiais
 Precatórios
 Prefeituras
 RECURSOS
 Rural
 Sindicatos
 SÚMULAS
 TERCEIRIZAÇÃO
 Terceiro Setor
 Textos sucintos e interessantes
 Trabalhista
 União Estável
  NEWS LETTER
  

  Nexo Causal: Professora encerra curso
   

 

Valéria Queiroga AULA - Juliana Cordeiro é mestra e doutora pela Univesidade Federal de Minas Gerais
AULA - Juliana Cordeiro é mestra e doutora pela Univesidade Federal de Minas Gerais
Na última sexta-feira, 23 de setembro, a professora Juliana Cordeiro de Faria encerrou, com sua aula, o curso Responsabilidade Civil: Tendências Doutrinárias e Jurisprudenciais. O tema do encontro, que reuniu magistrados e servidores, foi “A flexibilização do nexo causal”. O curso, oferecido nas modalidades presencial e a distância, é uma realização conjunta do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), por meio da Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes (Ejef) e da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Iniciando sua apresentação, a professora, mestra e doutora pela UFMG, abordou e refletiu sobre as tendências da responsabilidade civil, como a coletivização das ações de responsabilidade, a expansão dos danos ressarcíveis e a necessidade de sua seleção, a despatrimonialização da reparação, a perda da exclusividade da responsabilidade civil como instrumento de reparação de danos e a erosão dos filtros tradicionais da responsabilidade civil.

Sobre a despatrimonialização da reparação, ressaltou que, com o surgimento dos novos danos, não mensuráveis economicamente, surge também a discussão sobre a melhor forma de reparar o dano por meio de opções como as tutelas inibitórias e preventivas. Em relação à erosão dos filtros da responsabilidade civil, destacou ser essa a tendência, uma vez que se observa, atualmente, a perda da importância da prova da culpa e do nexo causal na dinâmica contemporânea das ações de responsabilização. Nesse sentido, lembrou a discussão sobre “O ocaso da culpa”, em aula ministrada anteriormente, quando foram debatidos o avanço da responsabilidade civil fundada no risco, a alteração da noção de culpa e sua aferição, entre outras questões.

Ponderou que a preocupação de se buscar de reparação integral da vítima esbarra-se, muitas vezes, na possibilidade de insolvência do obrigado. Observou que na tutela do crédito, tem que se levar em consideração a dignidade do credor e do devedor, fazendo-se um diagnóstico do caso e buscando o equilíbrio.

Nexo causal

Conforme a professora, o nexo causal assume papel fundamental dentro da responsabilidade civil e passa a ser repensado. É ele que determina a quem se deve atribuir o resultado danoso, sendo também indispensável na verificação da extensão do dano. Falou do cuidado na análise da causalidade, de maneira a não transformar o jurídico em filosófico, visto que os métodos de investigação dessas ciências são diferentes. Atentou para as consequências da exagerada relativização do dano, ressaltando que o mundo do direito não pode operar na órbita hipotética do “se” e, sim, na órbita dos fatos.

Abordou as teorias da equivalência (em que são consideradas todas as causas que contribuíram para a ocorrência do fato), adequação (leva em conta a causa necessária para produção do efeito) e da causalidade próxima (considera a conduta mais próxima do evento lesivo). Discorreu também sobre as excludentes da responsabilidade como ocorrência de caso fortuito e de fato de terceiro.

Informou que os Tribunais, na maioria das vezes, adotam a aplicação de várias teorias da causalidade, e destacou a importância da atualização do direito de forma responsável. A professora ilustrou sua exposição com a apresentação de casos julgados em vários Tribunais relacionados ao tema. Um deles refere-se a um jovem de 21 anos, que se acidentou à noite ao saltar de escorregador em piscina infantil de hotel. A justiça de 1ª Instância entendeu que a culpa fora do rapaz; em 2ª instância, o entendimento foi pela responsabilização do hotel; e no Tribunal Superior foi considerada a culpa concorrente.

Atualização

Para o coordenador dos Juizados Especiais de Belo Horizonte, juiz Vicente Oliveira, o curso foi uma oportunidade de rever posições doutrinárias sobre o tema e atualizar a matéria. Elogiou a abordagem do assunto no decorrer das aulas, destacando o reencontro com colegas e definindo a iniciativa como um excelente espaço para refletir e debater tendências do direito.

O curso, realizado em cinco encontros, é credenciado pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) e, na Ejef, está a cargo da Diretoria Executiva de Desenvolvimento de Pessoas (Dirdep).


Assessoria de Comunicação Institucional - Ascom
TJMG - Unidade Goiás
(31) 3237-6568
ascom@tjmg.jus.br
 
Fonte : TJMG
26/09/2011


  COMENTAR ESTE ARTIGO


Atenção

Você Precisa ser cadastrado para comentar as colunas do site , se você ja é faça login, se não clique aqui para se cadastrar
O processo de cadastro é simples e rápido, faça parte desta cominidade
Nova pagina 1
  COLUNAS LC
  Direitos das Mulheres
 Advocacia
 Assédio Moral
 Benefícios
 Biossegurança
 Bullying
 Cheques
 Cidadania
 Colunas
 Comunidade Jurídica
 Concurso Público
 Condomínios
 Conselho de Justiça Federal
 Contrato de Trabalho
 Defensoria Pública
 Direito de Família e Sucessões
 DNA
 Documentos
 Doenças Profissionais
 Dumping Social
 Educação
 Entrevistas
 Estagiários
 FGTS
 Frases Circunstanciais
 Fundos de Pensão
 Glossário
 Hist. das Constituições
 Horas Extras
 Imposto de Renda
 Info. Históricas do Brasil
 Injustiça
 Justiça na Alemanha
 Lei 11.382/06 - Lei de execução de títulos extrajudiciais
 Lei 11.441/2007
 Lei nº 11.232/22.12.2005- Lei de execução civil
 Política
 Prefeitos e Vereadores
 Repercussão Geral
 Saúde
 Servidor Público
 Sinopses de textos
 Textos diversos
  FAÇA LOGIN
Login:

Senha:



  PUBLICIDADE



  PESQUISA
O que achou do site?
Excelente
Ótimo
Bom
Razoável
Ruim